A movimentação política em Santa Catarina

Share Button

Se o quadro político em nosso estado de Santa Catarina já mostrava alguma turbulência na semana passada, esta semana, com a saída do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, do PSDB, ficou ainda mais agitado.

Se os deputados estaduais Cobalchini e Sopelsa, o federal Carlos Chiodini e o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, andam pensando em sair do MDB, agora apareceu Paulinho Bornhausen, querendo sair do PSB e levar consigo os três deputados estaduais.

As negociações são das mais variadas e aguardam-se novidades, de olho em eventuais fusões partidárias ou novos partidos, ou até mesmo, um salvo conduto para que deputados não corram o risco de perder o mandado por trocar de partido.

Conversei com Cobalchini na sexta-feira (15) e ele está analisando o quadro, com um detalhe: o presidente estadual do partido, Mauro Mariani, deixou o comando e entregou a legenda para Cobalchini, complicando um pouco mais uma eventual saída do partido. E tem mais: tem um grupo de lideranças que deseja ver Cobalchini no comando partidário no novo mandato que deve iniciar ainda no primeiro semestre deste ano. Cobalchini tem alternativas: o Podemos, o DEM e o PR. Cardápio Variado.

Sobre o ex-prefeito de Blumenau, a informação é que andou conversando com o ex-senador Jorge Bornhausen e com o presidente da Alesc, Julio Garcia, razão pela qual suspeita-se de uma estratégia para a formação de um novo grupo político no estado.

O PSDB, sentiu o golpe e anda mal das pernas, se esvaindo.

Pelo visto, teremos um ano agitado, com as lideranças pensando nas eleições municipais do ano que vem, preparando-se para os embates, em uma eleição em que não teremos mais as coligações proporcionais, ou seja, para vereador, cada partido lança os seus. Será um Deus nos acuda.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *